Geral 30/06/2020 - 15:31 - Marcos Miranda – Governo do Tocantins

Pessoas privadas de liberdade retomam as aulas em ação integrada entre Seciju e Seduc

A diretora da Escola Professora Alcides Rodrigues Aires entrega o kit do aluno, desinfetado, à agente de execução penal da CPP de Porto Nacional A diretora da Escola Professora Alcides Rodrigues Aires entrega o kit do aluno, desinfetado, à agente de execução penal da CPP de Porto Nacional - Seciju/ Governo do Tocantins
Os presos recebem o material que foi devidamente desinfetado e que servirá de apoio para os estudos e base de sua avaliação Os presos recebem o material que foi devidamente desinfetado e que servirá de apoio para os estudos e base de sua avaliação - Seciju/ Governo do Tocantins

A educação dentro das unidades prisionais é uma ferramenta de transformação garantido pela Lei de Execução Penal. Nesta segunda-feira, 29, o ano letivo foi retomado nas escolas estaduais do Tocantins, inclusive nas turmas de Educação para Jovens e Adultos (EJA) nas Unidades Penais. Ao todo, 278 Pessoas Privadas de Liberdade voltaram a estudar através da execução de atividades remotas, em uma ação integrada entre a Secretaria de Educação, Juventude e Esportes (Seduc) e a Secretaria de Estado da Cidadania e Justiça (Seciju).

Neste momento de pandemia da Covid-19, a oferta de escolarização da Educação Básica as Pessoas Privadas de Liberdade nas Unidades Prisionais acontecerão através do repasse de um kit pedagógico com conteúdo a ser estudados e atividades impressas que deverão ser respondidas dentro da cela no período de uma semana e após a finalizadas serão entregues aos servidores da unidade. Em sequência a isso serão repassadas para os professores que farão as correções e orientações necessárias para a boa aprendizagem.

O interno na Casa de Prisão Provisória de Dianópolis (CPP de Dianópolis), A.D.P, falou sobre o retorno às aulas em tempos de pandemia. "Realmente foi de muita importância à volta das atividades escolares, isso é bom porque não iremos perder o ano letivo nem as remições, é bom saber que existem pessoas que se importam com a gente. Obrigado a todos".

O gerente de Educação, Trabalho e Renda ao Preso e Egresso dos Sistemas Penitenciário e Prisional da Seciju, Leandro Sousa, comentou a retomada das aulas neste contexto social atual. “Compreendo que a suspensão das aulas presenciais pelo poder público foi uma medida importante de combate à disseminação do novo Coronavírus e percebemos que o retorno às aulas, mesmo que remotamente, é um avanço para a política de educação em prisões na modalidade EJA”, disse.

De acordo com o secretário executivo Geraldo Divino Cabral, que é grande entusiasta da educação como meio de mudança social, o formato é uma experiência nova para que seja atendido este direito do preso e disse que o foco é a melhoria desta nova metodologia. “Nós iremos, através de nossa de nossa Gerência de Educação, Trabalho e Renda ao Preso e Egresso, monitorar e avaliar se está tudo caminhando bem, ou se precisa de ajustes. De toda forma, é um grande ganho para e educação dentro dos ambientes carcerários, uma vez que a educação é ferramenta primordial no processo de reintegração social”, destacou.

O gerente de Educação em Prisões da Seduc, Dálcio Soares, ressaltou a importância da combinação de forças entre os servidores de ambas as Pastas. “Este é o fruto de um trabalho articulado entre as equipes que estão à frente da Política da Educação para viabilizar este retorno, que muito tem alegrado aos professores e aos alunos assistidos”, finalizou.

Compartilhe esta notícia