Geral 15/05/2020 - 18:27 - Gabriela Santos - Governo do Tocantins

Campanha “Faça Bonito” visa conscientizar sobre abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes

A campanha Faça Bonito completa 20 anos de realização em 2020 A campanha Faça Bonito completa 20 anos de realização em 2020 - Seciju/ Governo do Tocantins

Este ano a campanha “Faça Bonito” completa 20 anos de realização, organizada pelo Comitê Nacional de Enfrentamento à Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes e a Rede ECPAT Brasil, tem o intuito de mobilizar, sensibilizar, informar e convocar toda a sociedade a participar da luta em defesa dos direitos de crianças e adolescentes e a Secretaria de Estado de Cidadania e Justiça (Seciju), por meio da Superintendência de Administração do Sistema de Proteção dos Direitos da Criança e do Adolescente, apoia essa campanha que visa proteger as crianças e adolescentes do Tocantins.

O objetivo da campanha anual é ressaltar a responsabilidade do poder público e da sociedade na implementação do Plano Nacional de Enfrentamento à Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes, na garantia da atenção às crianças, adolescentes e suas famílias, por meio da atuação em rede, fortalecendo o Sistema de Garantia de Direitos preconizado no Estatuto da Criança e Adolescente (ECA) e tendo como lócus privilegiado os Conselhos de Direitos da Criança e do Adolescente no âmbito dos estados e municípios.

Campanha Faça Bonito no Tocantins​

Diante disso, a Seciju trabalha ações para elucidar a população sobre a participação no enfrentamento à violência sexual praticado contra a criança e o adolescente, visando garantir que esta parcela da população possa se desenvolver, de maneira segura e livre de abuso e exploração sexual. Durante este período de distanciamento social, em decorrência da Pandemia do Coronavírus, as ações da campanha foram reformuladas, ocorrendo de maneira virtual, utilizando-se de redes sociais, site, envio de material para a imprensa e divulgação em aplicativos de mensagens.

 “O mês de maio é dedicado à divulgação de diversas informações sobre abuso e exploração sexual, em alusão ao dia 18. Todas as ações da gerência estão sendo realizadas através das mídias sociais, distribuímos material informativo aos municípios do Estado para que eles utilizem como medidas de enfrentamento,” esclareceu a gerente de Promoção dos Direitos da Primeira Infância da Seciju, Andréia Neves.

Violência sexual

A prática de violência sexual contra crianças e adolescentes engloba uma série de fatores sociais como relações de gênero, classe social, condições econômicas e até mesmo raça ou etnia, sendo dividida em abuso e exploração sexual. O abuso sexual é geralmente praticado por uma pessoa com quem a criança ou adolescente possui uma relação de confiança, e que participa do seu convívio. Já a exploração sexual é a utilização de crianças e adolescentes para fins sexuais mediada por lucro, objetos de valor ou outros elementos de troca.

A gerente da Seciju ressalta a importância da sociedade se envolver no combate a violência sexual de crianças e adolescentes. “A maioria dos casos de abuso sexual são intrafamiliar, a rede de proteção composta por órgãos públicos não está presente no cotidiano da família, quem está são professores, vizinhos e profissionais que atuam com essas crianças diretamente, esses têm o papel de observar e fazer denúncias de violação” ressaltou.

18 de maio

No próximo dia 18 é o “Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes”, a data foi escolhido para relembrar o crime bárbaro chocou todo o país e ficou conhecido como o “Caso Araceli”. Esse era o nome de uma menina de apenas oito anos de idade, que teve todos os seus direitos humanos violados, foi raptada, estuprada e morta por jovens de classe média alta daquela cidade. O crime, apesar de sua natureza hedionda, até hoje está impune. escolhido porque em 18 de maio de 1973, na cidade de Vitória (ES), um crime bárbaro chocou todo o país e ficou conhecido está impune.

 

 

 

 

 

Compartilhe esta notícia