Geral 11/02/2020 - 17:30 - *Gabriela Santos/ Governo do Tocantins

Casa de Prisão Provisória de Dianópolis tem aula inaugural com novo espaço educativo e de trabalho

Foram inaugurados espaços voltados para educação e trabalho dentro da unidade Foram inaugurados espaços voltados para educação e trabalho dentro da unidade - Cidadania e Justiça/ Governo do Tocantins

Nesta segunda-feira, 10, a Casa de Prisão Provisória de Dianópolis administrada pela Secretaria do Estado de Cidadania e Justiça (Seciju) em parceria com a Secretaria de Educação e Cultura (Seduc), Poder Judiciário e Ministério Público, realizou uma aula inaugural para dar início aos trabalhos em um novo espaço educativo  e de trabalho para a unidade prisional.

Os recursos utilizados para construção das celas, salas e galpão são oriundos do Poder Judiciário, por meio do Conselho da Comunidade da Comarca de Dianópolis. As obras para construção do espaço educativo foram executadas com a mão de obra de 7 internos da unidade que trabalharam na edificação dos espaços. O galpão construído será destinado a fabricação de artefatos de cimento para a própria unidade.  Além de otimizar o ambiente carcerário, os apenados que trabalham nas reformas, receberão remição de pena por trabalho como prevê a Lei de Execução Penal.

O diretor da Casa de Prisão, Mykael Nascimento Gonçalves, afirmou que disponibilizar um espaço voltado para aprendizado auxiliará no processo de ressocialização. "É uma satisfação para nossa unidade poder disponibilizar aos reeducandos um dos meios que consideramos mais importantes para a mudança na vida de uma pessoa. A educação é o primeiro passo para se descobrir novos caminhos, e inaugurar uma sala de aula na CPP de Dianópolis é contribuir com a quebra de diversos paradigmas e preconceitos, dando a oportunidade que muitos não tiveram ou não souberam valorizar”, disse.

Ainda segundo o diretor a educação atua como um forte instrumento de mudança na vida dos apenados. “Isso com toda a certeza faz a diferença no processo de ressocialização e muda a visão estigmatizada do cárcere, e isso nada mais é que o resultado das diversas mudanças que vêm ocorrendo desde que assumimos a missão de reestruturar o Sistema Penitenciário tocantinense", finalizou.

Para o reeducando, A.D.P, ter acesso à educação na unidade significa uma oportunidade de continuação aos estudos.  "Fico muito feliz com a chance de voltar a estudar mesmo recluso. Tenho certeza que é essa é a porta para mudança na minha vida. Vou procurar aproveitar e retornar à sociedade de cabeça erguida", relatou.

*Estagiária sob supervisão da jornalista Maria Gabriela Costa. 

Compartilhe esta notícia