Geral 15/10/2020 - 17:09 - Márcia Rosa – Governo do Tocantins

Reeducandos de seis unidades penais se formam em curso de produção de blocos de artefatos

Unidade contará com produção dos artefatos de forma contínua Unidade contará com produção dos artefatos de forma contínua - Seciju Divulgação/Governo do Tocantins

Com foco na profissionalização e ensino como direitos da pessoa privada de liberdade garantida na Lei de Execução Penal (LEP), pessoas privadas de liberdade participaram da cerimônia de formatura do Curso de Produção de Blocos e Artefatos de Concretos na Unidade de Tratamento Penal Barra da Grota em Araguaína/TO. A Capacitação foi promovida pela Secretaria de Estado da Cidadania e Justiça (Seciju), por meio de sua Gerência de Reintegração Social, Trabalho e Renda do Preso e Egresso.

Com carga horária de 160 horas/aulas, o curso profissionalizante contou com a participação de 20 pessoas privadas de liberdade, sendo 10 da Unidade de Tratamento Penal Barra da Grota e mais 10 das Unidades de Tocantinópolis, Xambioá, Araguatins, Augustinópolis e Ananás. A cerimônia ocorreu na manhã da última quarta-feira, 14, seguindo os protocolos para prevenção ao coronavírus e contou com a presença da Polícia Militar e de entidade religiosa (Igreja Universal), parceiros em ações a favor da ressocialização.

O gerente de Reintegração Social, Trabalho e Renda da Seciju, Leandro Bezerra de Sousa, destacouo compromisso da gestão na abertura de ações voltadas a humanização da pena. “O Sistema Prisional não pode ser um local totalmente fechado, é preciso garantir mais espaços para os parceiros e órgãos da execução da pena que colaboram com a reintegração social, pois diminui os gastos com a segurança pública, promovem uma saída mais rápida da pessoa privada de liberdade da unidade penal, previne a reincidência, gera produtos de consumo imediato, entre outros ganhos”, ressaltou.

Já o diretor da Unidade de Tratamento Penal Barra da Grota em Araguaína/TO, Paulo Freitas, frisou a importância e o poder transformador da profissionalização para pessoas privadas de liberdade. “O curso foi um marco na unidade porque daremos início à produção dos artefatos de forma contínua para uso interno além de possibilitar trabalho e renda para o preso e egresso, desempenhando nosso papel na ressocialização”, comemorou o gestor.

Mais capacitações

As capacitações fazem parte do Programa de Capacitação e Implementação de Oficinas Permanentes (Procap) vinculado ao Departamento Penitenciário Nacional (Depen) e ao Programa Novo Tempo. Este foi implementado pela Superintendência de Administração dos Sistemas Penitenciário e Prisional do Tocantins para profissionalização das pessoas privadas de liberdade e acontece em diversas unidades penais do Estado, contando com parcerias com empresas, entidades civis, além de órgãos e instituições do Sistema de Justiça.

Na Casa de Prisão Provisória de Dianópolis, custodiados trabalham com uma produção média diária de 590 bloquetes para uso na construção civil e pavimentação asfáltica.

Já na Cadeia Pública de Arraias é ofertado o Curso de Fabricação de Vasos de Cimento por meio da Oficina Permanente de Capacitação Profissional e de Geração de Renda para os apenados, chamada “Inovando Sonhos".

O formando O.V.M.J, de 27 anos, falou da oportunidade de participar da capacitação enquanto cumpre pena. “O curso foi muito importante para mim e para todos que participaram e está nos ajudando a mudar de vida. Trouxe muitas coisas boas porque posso levar para a vida, no dia a dia, e até abrir uma empresa se quiser continuar nessa área”, concluiu. 

(Edição: Lauane dos Santos/Governo do Tocantins)

Compartilhe esta notícia