Geral 06/09/2019 - 18:49 - Pedro Ícaro e Gabriela Santos/ Governo do Tocantins

Socioeducandos participam de roda de conversa sobre valorização da vida em alusão ao setembro amarelo

A roda de conversa foi mediada por uma psicóloga que tratou sobre a valorização da vida com os jovens  A roda de conversa foi mediada por uma psicóloga que tratou sobre a valorização da vida com os jovens - Pedro Ícaro – Governo do Tocantins

O mês de setembro é dedicado a valorização da vida e prevenção ao suicídio, instituído como setembro amarelo. Assim, a Secretaria de Estado da Cidadania e Justiça (Seciju) deu início a ações planejadas para o mês, que contemplam rodas de conversa, palestras e campanhas de sensibilização e orientação. A primeira atividade ocorreu na quinta-feira, 05, com uma roda de conversa no Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) no Aureny III, em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde (Semus), parte do plano de ação de prevenção ao suícidio e programada para atender especificamente os adolescentes do sistema socioeducativo.

A atividade foi proposta pela Superintendência de Administração do Sistema de Proteção dos Direitos da Criança e do Adolescente, através do Núcleo de Saúde do Sistema Socioeducativo, em consonância ao calendário da Seciju e atendendo ao plano de ação da Semus . “Nós precisamos fortalecer as medidas de prevenção em saúde! Essa roda de conversa serve para que os adolescentes possam refletir sobre a vida e valorizá-la, além de terem uma oportunidade de se auto conhecer”, explicou Daniela Araújo, coordenadora do Núcleo de Saúde, lembrando que a atividade oportuniza que os adolescentes saiam da rotina, além do acesso às informações sobre saúde mental.

A roda de conversa foi mediada pela psicóloga da área técnica da gerência de saúde mental articuladora da agenda do ministério da saúde de prevenção ao suicídio ( 2017 - 2020) e especialista em saúde mental, Leny Carrasco, com a participação de 11 adolescentes que cumprem medidas socioeducativas no Centro de Atendimento Socioeducativo (Case), Centro de Internação Provisória Masculino, Centro de Internação Provisória Feminino e também da Unidade de Semiliberdade masculina (USL), todas localizadas em Palmas.

O objetivo foi auxiliar os adolescentes a identificar os sentimentos; demonstrar pontos de apoio; prestar esclarecimento sobre saúde mental; e estimular que os adolescentes repliquem o conhecimento adquirido aos colegas. “A atividade tem também o objetivo de estabelecer um espaço de conversa onde dialogamos com os adolescentes sobre a existência humana”, explicou Leny.

Para a socioeducanda B. S. P, 17 anos, que participou da roda de conversa, a ação a ajudou a refletir sobre a vida. “Me senti bem participando da roda de conversa, algumas falas mexeram comigo e me ajudaram a me colocar no lugar do outro”, relatou.

Para Leny Carrasco, é fundamental que a temática seja abordada com os adolescentes devido ao índice de suicídio entre pessoas dessa faixa etária. “Segundo o Ministério da Saúde e a Organização Mundial da Saúde, a maior taxa de óbitos por suicídio está entre os jovens de idades entre 15 e 19 anos,” apresentou. Na ocasião, a psicóloga também pediu que os adolescentes comentassem sobre sua vida e fizessem uma autoavaliação sobre a saúde mental.

Compartilhe esta notícia