Geral 04/09/2019 - 17:35 - Erlene Miranda/Governo do Tocantins

Parceria vai possibilitar empréstimo de livros para reeducandos da Cadeia de Formoso do Araguaia

Livros vão contribuir para projeto de remição de pena pela leitura Livros vão contribuir para projeto de remição de pena pela leitura - Divulgação/Seciju
A direção da unidade também recebeu doação de 100 livros A direção da unidade também recebeu doação de 100 livros - Divulgação/Seciju

Uma parceria entre a da Cadeia Pública de Formoso do Araguaia e a Biblioteca Municipal vai possibilitar que reeducandos beneficiados com a remição de pena por leitura tenham acesso ao acervo de títulos literários.  A unidade prisional já conta com uma biblioteca e uma sala de estudo, mas ampliará a oferta por meio dos empréstimos para estimular que mais reeducandos participem do projeto e para continuar motivando os que já participam.

A unidade acolhe 53 apenados, sendo que 30 participam do projeto de remição de pena por leitura, que existe há cerca de um ano. A parceria com a biblioteca municipal foi realizada durante esta semana e segue para a fase de planejamento. De acordo com o chefe da unidade, Miller Paulo de Azevedo, ficou definido que será criada uma ficha para cada apenado, que contará com data de entrega e data de devolução da obra. “O servidor da biblioteca levará semanalmente os livros à unidade para os reeducandos que tiverem interesse no empréstimo”, explicou.

O chefe da unidade destaca que a oferta de livros e do projeto de remição é fundamental para a ressocialização pois promove conhecimento, além de inibir a ociosidade dos apenados. “Com o estudo melhora muita coisa, esperamos que eles saiam daqui ressocializados, reintegrados a sociedade, que não voltem a rescindir e cometer novos crimes”, disse Miller.

O reeducando, L.S.M., 37 anos, partilha do gosto pela leitura desde que ingressou no projeto de remição de pena por leitura e informa a necessidade desta ação para os apenados.  “Cada livro têm uma importância grande para cada reeducando, através da leitura você desenvolve sua mente, seu jeito de viver, falar e conviver com as pessoas. Para quem está no sistema é uma ajuda muito grande”, garante.

O chefe da unidade conta ainda que notou mudança célere no comportamento dos reeducandos que praticam a leitura. “Eles se tornam mais educados, sociáveis. A leitura é tão necessária que aumenta até o grau de escolaridade dos apenados, pois muitos adentram a unidade sem saber ler, mas os que participam do projeto têm melhorado a leitura e a escrita”, afirma.

Doação

Já na terça-feira, 03, o Fórum de Formoso do Araguaia após arrecadação doou 100 livros para a biblioteca da Cadeia Pública. As obras foram arrecadadas através da mobilização de servidores da comarca, com campanha realizada nas redes sociais.

Compartilhe esta notícia