Geral 10/05/2019 - 17:42 - Marcos Miranda/Governo do Tocantins

Cidadania e Justiça busca novas tecnologias para reestruturar Colônia Agrícola do Cariri

Gestores conheceram maquinários e tecnologias na feira Gestores conheceram maquinários e tecnologias na feira - Divulgação/Seciju
Na busca de parcerias, gestores do Sispen/TO estiveram em reuniões junto à equipe de servidores do Senar Na busca de parcerias, gestores do Sispen/TO estiveram em reuniões junto à equipe de servidores do Senar - Divulgação/Seciju

Atividades como horta e criação de animais não são incomuns dentro da realidade das unidades prisionais no Tocantins. Por isso, gestores de unidades prisionais e de políticas de trabalho para apenados visitaram os stands da Agrotins 2019, na quinta-feira, 09, buscando soluções e tecnologias que possam ser utilizadas na execução da política de trabalho e reestruturação da colônia agrícola em Cariri do Tocantins.

Na visita, o diretor do Centro de Reeducação Social Luz do Amanhã (CRSLA), em Cariri do Tocantins, Paulo Sérgio Vieira e o gerente de Reintegração Social, Trabalho e Renda ao Preso e Egresso, Leandro Bezerra de Sousa, conheceram o criatório de alevinos, objetivando a implantação do projeto de piscicultura a ser executado na Colônia Agrícola. Foram visitados também stands de maquinários que possam servir na implantação da avicultura de postagem e suinocultura.

Em relação à suinocultura o diretor do CRSLA ressaltou o potencial desta cultura na unidade. “A visita foi muito focada na ovinocultura, na piscicultura e suinocultura. Em conversa com o gerente, estamos articulando o remanejamento dos suínos que já temos e a possiblidade de conseguir novas raças, assim como reativar os nossos reservatórios, a fim de aproveitar o potencial hídrico da região”, explicou Paulo.

Por fim, os gestores discutiram parcerias com o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), com foco na oferta de ações de formação profissional rural em piscicultura, avicultura de postagem, suinocultura e outras atividades típicas da agropecuária.

“Após o planejamento do plano de aplicação do fundo penitenciário de 2017, que foi pensado para a reativação agrícola, buscamos parcerias intersetoriais junto a outras entidades e órgãos, como o Senar, que neste caso oferece cursos gratuitos, com foco na profissionalização dos reeducandos, visando a efetividade na reeducação”, explanou o gerente de Reintegração Social, Trabalho e Renda ao Preso e Egresso, Leandro Bezerra de Souza.

Colônia Agrícola

Construído em 1978, quando o Tocantins ainda fazia parte do estado de Goiás, o CRSLA é uma colônia agrícola, destinada ao cumprimento da pena de reeducandos em regime semiaberto. Com 24 alqueires de área total, criação de bovinos e suínos, a unidade prisional tem grande potencial para abrigar e agregar projetos de avicultura, suinocultura e piscicultura, além de sistema de produção de hortaliças.

Compartilhe esta notícia