Geral 09/04/2019 - 12:48 - Willian Borges / Governo do Tocantins

Reeducandos da CPP de Porto Nacional realizam limpeza e roçagem de terrenos baldios próximos às faculdades

Serviços integram projeto Amarelinho que oferece o benefício da remição para reeducandos que trabalham durante o cumprimento da pena Serviços integram projeto Amarelinho que oferece o benefício da remição para reeducandos que trabalham durante o cumprimento da pena - Seciju/ Governo do Tocantins

Um grupo de seis reeducandos da Casa de Prisão Provisória de Porto Nacional (CPP) está realizando serviço de capina e roçagem em áreas públicas e terrenos baldios que ficam próximas ao campus da Universidade Federal do Tocantins (UFT) e da Faculdade Itpac. A ação iniciada nesta segunda-feira, 8, permanece até o fim da semana. A atividade de limpeza foi idealizada pela Polícia Militar (PM/TO) que identificou um alto índice de criminalidade facilitado pela falta de capina e roçagem nos terrenos e solicitou o apoio do Projeto Amarelinho da CPP de Porto Nacional.

“Fomos procurados pela PM, que demonstrou preocupação com o índice crescente de violência no setor Jardim dos Ipês, onde estão localizadas as universidades UFT e Itpac. Então fechamos uma parceria para realizar serviço de roçagem dos terrenos públicos ou baldios da região, dando prioridade às áreas mais próximas aos caminhos que ligam as faculdades aos pontos de ônibus” explicou Abraão Valença, diretor da CPP de Porto Nacional.

O diretor da unidade acrescenta que a ação é positiva, pois favorece toda a comunidade. “Os reeducandos são beneficiados com a remição da pena e a sociedade é beneficiada com uma cidade mais limpa, mais bonita e sobretudo, mais segura”, assegurou Abrãao. Durante o tempo em que os reeducandos estão fora da unidade, com autorização judicial para realizar o trabalho, quatro agentes prisionais e quatro policiais militares realizam a escolta.

O chefe de segurança da Unidade, Aurir Santana, que acompanha a escolta dos reeducandos, afirma que ações como essas são necessárias para melhor aproveitar a mão de obra carcerária. “O trabalho para os reeducandos é fator de valorização pessoal, pois ele ganha remição de pena, se faz útil para a sociedade, além de facilitar o seu regresso ao meio social e também proporciona a redução dos custos do Estado com o apenado”, falou.

Projeto Amarelinho

O projeto Amarelinho é uma ação da Secretaria do Estado de Cidadania e Justiça que oferece o benefício da remição para reeducandos que trabalham durante o cumprimento da pena. O nome Amarelinho é devido ao uniforme dos reeducandos que participam desses projetos que é na cor amarela. Os reeducandos da CPP de Porto Nacional participam constantemente da realização de serviços comunitários e de mutirões de combate à dengue e outras endemias.

Compartilhe esta notícia