Geral 07/11/2019 - 18:06 - Shara Rezende/ Governo do Tocantins

Agente de execução penal apresentará trabalho no X Congresso Internacional em Direitos Humanos

Agente de execução penal e professora da UFT  apresentarão projeto  no  X Congresso Internacional em Direitos Humanos Agente de execução penal e professora da UFT apresentarão projeto no X Congresso Internacional em Direitos Humanos - Seciju/Governo do Tocantins

O Agente de Execução Penal, Oséias Rego, da Secretaria de Estado da Cidadania e Justiça (Seciju), em parceria com a professora da Universidade Federal do Tocantins (UFT), Gleys Ramos, apresentarão trabalho com o título “Outras Perspectivas de Enfretamento as Violências contra as Mulheres: alguns apontamentos”, nesta sexta-feira, 8, no X Congresso Internacional em Direitos Humanos que está acontecendo em Palmas.

Oséias conta que o projeto “Outras Perspectivas de Enfretamento as Violências contra as Mulheres: alguns apontamentos” visa construir ações no âmbito dos direitos humanos, justiça e cultura associadas às mulheres, a partir da interação entre sociedade civil e políticas públicas de segurança. Sendo executado dentro Circuito Integrado de Atenção ao Agressor desenvolvido na Central de Penas e Medidas Alternativas (Cepema).

“O trabalho que será apresentado no Congresso foi elaborado para combater e proteger as mulheres vítimas de violência doméstica e tem o objetivo de fazer com que os agressores, principalmente de crimes enquadrados na lei Maria da Penha, reflitam sobre seus atos como forma de evitar a reincidência”, esclarece o agente de execução penal.

Enfrentamento as violências

A Professora Gleys explica que inicialmente o projeto promoverá rodas de conversas com mulheres em Porto Nacional e Palmas, a fim de que essas mulheres possam falar sobre suas vivências sobre a violência. As rodas de conversa serão gravadas por vídeo e áudio, e esse conteúdo será utilizado com os apenados que tem registros de violação da Lei Maria da Penha atendidos pelo Circuito Integrado de Atenção ao Agressor realizados via Cepema.

“Serão produzidos materiais audiovisuais, artístico e performáticos com mulheres em situação de violências e vulnerabilidades, e também material com agentes de segurança pública que recebem ou atendem essas mulheres. Após isso, faremos oficinas de debates com os reeducandos, a fim de que percebam como a violência constrói um cotidiano de medo, dor, renúncias e assim fazê-lo se perceberem no processo não só como agressores, mas também como pessoas que podem repensar suas práticas e propor saídas para tais situações”, esclareceu.

Congresso

O Congresso Internacional em Direitos Humanos é realizado anualmente pelo Tribunal de Justiça do Estado do Tocantins (TJTO), por meio da Escola Superior da Magistratura Tocantinense (ESMAT), como atividade do Programa de Mestrado em Prestação Jurisdicional e Direitos Humanos, oferecido em parceria com a Universidade Federal do Tocantins (UFT). O Congresso reúne conferencistas do Brasil, Estados Unidos, França, Espanha, Bélgica e Angola, para discutir sobre o tema “Segurança Humana e Desenvolvimento Socioambiental” e iniciou na última quarta-feira, 6.

 

 

Compartilhe esta notícia