Geral 28/09/2018 - 11:00 - Jaqueline Moraes

Conferências Regionalizadas dos Direitos da Pessoa Idosa é encerrada após ser realizada em sete regiões do Estado

12.jpeg 12.jpeg -

Durante todo o mês de setembro o Conselho Estadual dos Direitos da Pessoa Idosa (CEDIPI), com o apoio da Secretaria de Estado da Cidadania e Justiça (Seciju), visitou sete regiões do Estado do Tocantins para a realização das Conferências Regionalizadas dos Direitos da Pessoa Idosa encerrando nesta sexta-feira, 28, no município de Porto Nacional.

O tema “Os Desafios de Envelhecer no Século XXI e o Papel das Políticas Públicas” foi discutido nas “cidades sedes” de Augustinópolis, Araguaína, Paraíso, Guaraí, Dianópolis, Gurupi e por último Porto. Pessoas idosas e gestores públicos de 70 municípios do Estado participaram das conferências falando sobre suas necessidades e peculiaridades no tocante à garantia dos direitos dos idosos.

A presidente do CEDIPI, Sandra Maria Leitão, avaliou positivamente a realização das conferências, ponderando que ainda é preciso avançar muito no desenvolvimento e garantia das políticas públicas. “As legislações existentes não estão sendo cumpridas em sua totalidade e precisamos fazer com a lei saia realmente do papel. É um desafio muito grande para todos nós”, disse.

As demandas apresentadas nas conferências serão sistematizadas e estruturadas para dar cumprimento ao processo de garantia dos direitos dos idosos em todas as esferas sociais. As demandas exclusivas de determinados municípios serão encaminhadas para dar cumprimento. Já as estaduais serão discutidas na Conferência Estadual e as deliberações nacionais serão levadas para a Conferência Nacional que acontecerá em 2019.

Nos municípios

Sandra diz que graças as conferências regionalizadas e ao contato mais próximo com os municípios foi possível identificar ações específicas realizadas por cada um deles. A conselheira diz que é preciso pensar em alternativas e soluções rápidas para as demandas apresentadas pelos idosos, como as relacionadas ao acesso à saúde e transporte público, por exemplo. Embora os desafios encontrados sejam muitos, Sandra destaca que “é bom ver que os idosos estão mais ativos e mais participantes das atividades que o Estado e os municípios oferecem, isso é de muita importância, porque entendemos que o idoso do século 21 também não é mais aquele da cadeira de balanço, ele tem voz ativa, participa”, destacou.

 

Porto Nacional

No município, mais de 100 pessoas participam da Conferência nesta sexta-feira, 28. Na abertura do evento, participaram o Estado do Tocantins, a Prefeitura de Porto Nacional e a Universidade Federal do Tocantins (UFT). Na ocasião, os idosos do município preparam uma apresentação teatral e um ato de sensibilização pela garantia dos seus direitos. Para o idoso Pedro César de Moraes, de 69 anos, a participação nas atividades o faz sentir vivo. “Me sinto novo de novo, as vezes me sinto criança, fui criado para trabalhar e não aproveitei nada da vida. Hoje eu participo de vários grupos e não quero sair mais, arrumei uma família, parece sempre que estou em casa”, disse.

Compartilhe esta notícia