Geral 20/09/2018 - 10:55 - Tom Lima

Campanha “Violentômetro” terá ação na Avenida Tocantins e blitz na Avenida JK

9_400.jpg 9.jpg - Flávia Oliveira

Após ação realizada em instituições de ensino superior, em Palmas, na manhã desta quinta-feira, 20, a Campanha Violentômetro será levada à Feira da 1102 Sul, às 19 horas, e bares da Avenida Palmas Brasil, às 20 horas. A iniciativa é da Secretaria de Estado da Cidadania e Justiça (Seciju), por meio da Diretoria de Direitos Humanos e da Gerência de Políticas para as Mulheres, que alerta por meio de um termômetro sobre 28 níveis de agressão e violência. 

Já na  sexta-feira, 21, às 9 horas, será realizada uma panfletagem na Avenida Tocantins, em Taquaralto, e uma blitz na Avenida JK, centro da cidade, às 17 horas, ambas com a participação de agentes do Sistema Penitenciário. Ainda na sexta-feira, à noite, a ação envolverá bares também da região central da Capital. O material informativo da campanha é composto por cartazes, flyers e marcadores de páginas.

O “Violentômetro” começa no nível amarelo, seguido dos níveis laranja e vermelho, que simbolizam os graus de agressões. De acordo com Sibele Letícia Biazotto, diretora dos Direitos Humanos da Seciju, em qualquer um destes níveis, a mulher vítima de violência pode registrar ocorrência policial nas Delegacias Especializadas de Atendimento à Mulher (DEAM). Ela informa também que denúncias podem ser feitas através do Disque 100. “O importante é estar alerta e tomar uma atitude antes que seja tarde”, reforça.

Repercussão positiva

No termômetro da violência, são listadas manifestações implícitas e explícitas, algumas delas, infelizmente, vistas como naturais no cotidiano da mulher e da sociedade. Quem recebeu a ação, aprovou. É o caso da estudante Daniela Guedes, de 18 anos, que afirma que mulheres próximas a ela já sofreram agressões e que o material recebido serve como um informativo de alerta. "Às vezes, a pessoa acha que fazer piadinhas não é violência, mas é sim. Mentir, outras coisas, não é só violência física, é verbal, psicológica", avalia. Para o jovem Gabriel Alves, de 21 anos, a campanha vem para abrir os olhos das mulheres. "Na maioria das vezes, a mulher não sabe que está sendo violada. Acaba sendo uma coisa comum, que se torna um ciclo de violências", disse.

Dados

Dados estatísticos da Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP), referentes aos meses de janeiro a maio de 2017 e 2018, mostram que os números são elevados e preocupantes, lembrando que se referem somente àqueles casos cujas ocorrências foram formalizadas em delegacias.

Em 2017, entre os crimes mais graves foram registrados 14 homicídios dolosos (quem praticou teve a intenção de matar), 19 tentativas de homicídios, 608 lesões corporais dolosas, 1.423 ameaças, 181 estupros e 24 tentativas de estupros. Já em 2018, dados parciais até o momento, foram registrados cinco homicídios dolosos, 12 tentativas de homicídios, 430 lesões corporais dolosas, 1.238 ameaças, 168 estupros e 12 tentativas de estupros.

Cronograma da Campanha

Dia 20/09

19 horas - Feira da 1102 Sul

20 horas - Avenida Palmas Brasil

Dia 21/09

9 horas – Avenida Tocantins Taquaralto

17 horas - Blitzen JK (em frente ao Banco do Brasil)

18 horas - Feira da 304 Sul

21 horas – Bar Repertório, região Centro, Bar Palmas 50ºC e Bar Cumpadi Zé.

Compartilhe esta notícia