Geral 09/02/2018 - 14:23 - Thaise Marques – Governo do Tocantins

Unidades Socioeducativas terão carnaval com momentos de reflexão, oração, fé e espiritualidade

Além das ações de espiritualidade, também estão sendo ministradas palestras com temas de saúde Além das ações de espiritualidade, também estão sendo ministradas palestras com temas de saúde - Divulgação Seciju

As oito unidades socioeducativas do Tocantins se preparam para comemorar o Carnaval 2018 com uma programação composta por momentos de reflexão, oração, fé e espiritualidade. Em parceria com igrejas evangélicas e católicas, os adolescentes que cumprem medidas socioeducativas poderão participar missas e cultos durante a semana que abordarão o tema dentro da religiosidade.

Em geral, o carnaval tem a duração de três dias, sendo eles os dias que antecedem a Quarta-feira de Cinzas. Iniciando em seguida a Quaresma, tempo de penitência e privação celebrado por algumas igrejas. As ações têm como objetivo, proporcionar aos adolescentes que cumprem medidas socioeducativas a reflexão do que é o carnaval, assim como suas atitudes e oportunidade de mudanças.

Além dos momentos de pregação e oração, em algumas Unidades serão exibidos filmes dentro do tema como opção de lazer. Na segunda-feira, 8, no Centro de Atendimento Socioeducativo (Case) em Palmas, será exibido o filme Deus Não Está Morto, em parceria com Igreja Universal do Reino de Deus.

Para o gerente do Sistema Socioeducativo, Jardel Alves, o momento é oportuno para conscientização. “Na rotina dos nossos adolescentes, já temos estes momentos de oração. Agora é mais uma oportunidade de olharem para si mesmo e recomeçar, através da reflexão neste período”, destacou Alves.

Saúde

Além das ações de espiritualidade, também estão sendo ministradas palestras com temas de saúde. Na última quarta-feira, 7, a Unidade de Semiliberdade Sul (USL), em Gurupi, em parceria com o Unidade Básica de Saúde do Município abordou, a prevenção, tratamento e cuidados de doenças sexualmente transmissíveis. Aids, gonorréia e sífilis foram algumas das doenças abordadas.

O coordenador da USL, Ricardo Figueiredo destacou que a conscientização também é uma forma de prevenção. “Pensamos muito nos nossos jovens quando estão fora da Unidade, uma vez que a vulnerabilidade existe e o conhecimento é fundamental na prevenção e tratamento destas doenças”, ressaltou Figueiredo.

Compartilhe esta notícia