Geral 06/09/2017 - 18:07 - Tamires Rodrigues - Governo do Tocantins

Mais vagas em comunidades terapêuticas serão abertas ainda este ano

Representantes de comunidades terapêuticas se reúnem com Governo para prestação de contas. Representantes de comunidades terapêuticas se reúnem com Governo para prestação de contas. - Seciju - Diculgação

Até o final deste ano, mais vagas deverão ser abertas em comunidades terapêuticas do Tocantins que atendem pessoas com dependência química. A informação foi repassada nesta quarta-feira (06), em reunião, aos representantes das cinco atuais comunidades que mantém parceria com o Governo do Tocantins, por meio da Secretaria da Cidadania e Justiça (Seciju), no amparo às pessoas com maior vulnerabilidade social, em decorrência ao uso indevido de drogas. Atualmente 40 vagas são ofertadas, devendo aumentar para 100. A ampliação do número de vagas se dá por meio de edital.

O termo de colaboração entre o Estado e as comunidades terapêuticas tem, atualmente, a disponibilidade de 40 vagas para internação de dependentes químicos para tratamento e recuperação, obedecendo aos critérios de condições psicológicas e socioeconômicas. As vagas são distribuídas entre as Fazendas da Esperança de Palmas, Lajeado e Porto Nacional e ainda a RHEMA e a Comunidade Leão de Judá, estas duas últimas localizadas na Capital. No momento, estão disponíveis duas vagas para o público masculino e duas para o feminino.

A reunião com as comunidades terapêuticas aconteceu na manhã dessa quarta-feira, 06, entre equipes técnicas da Superintendência de Ações Sobre Drogas e do Núcleo de Atenção à Pessoa com Dependência Química (Núcleo Acolher) para prestação de conta sobre os serviços prestados, alinhamento de trabalhos e articulação de parcerias.

Na ocasião, foi apresentada a nova gerente de Prevenção sobre Drogas, Sandra Regina Saraiva da Silva, que destacou que a articulação visa não só a internação, mas igualmente a reinserção ,depois que os dependentes em tratamento deixarem as comunidades terapêuticas. “Desse modo, conseguiremos dar continuidade ao atendimento, junto com a equipe do Núcleo Acolher que é quem oferece o primeiro atendimento e orientações personalizadas às pessoas que buscam a recuperação”, completou.

 

Compartilhe esta notícia