Geral 04/08/2017 - 16:44 - Tom Lima - Governo do Tocantins

Semana da Diversidade Sexual destaca avanço nas políticas públicas do Tocantins

Abertura da Semana da Diversidade Sexual na noite desta quinta-feira, 03, o auditório IFTO, em Palmas. Abertura da Semana da Diversidade Sexual na noite desta quinta-feira, 03, o auditório IFTO, em Palmas. - Tom Lima - Governo do Tocantins
Gleidy Braga destaca nível das discussões técnicas da categoria durante evento. Gleidy Braga destaca nível das discussões técnicas da categoria durante evento. - Tom Lima - Governo do Tocantins
Nayara Ayres, da OAB-TO, ministra palestra sobre “Direto, Diversidade e as Novas Composições Familiares”. Nayara Ayres, da OAB-TO, ministra palestra sobre “Direto, Diversidade e as Novas Composições Familiares”. - Tom Lima - Governo do Tocantins

A adoção do nome social das pessoas transexuais, travestis e transgêneros privadas de liberdade nas unidades prisionais do Tocantins foi um dos avanços na política LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Transgêneros) do Estado destacados na abertura da Semana da Diversidade Sexual, ocorrida na noite desta quinta-feira, 03, o auditório do Instituto Federal do Tocantins (IFTO), em Palmas. O evento contou com a participação da secretária de Estado da Cidadania e Justiça, Gleidy Braga, que informou que o Tocantins é o primeiro estado da Federação a inserir o nome social na ficha cadastral de detentos.

Para a presidente da Associação das Travestis e Transexuais do Estado do Tocantins (Atrato), Byanca Marchiori, a inclusão do nome social é um exemplo de conquista. “Não tínhamos políticas públicas no Tocantins antes”, disse, categórica, referindo-se à atual gestão. “Para nós do movimento, este é um momento importante, após tantas lutas e batalhas, estamos, enfim, tendo visibilidade no Estado”, avaliou.

Antes das declarações da presidente da Atrato, a secretária Gleidy Braga, naquele momento representando o governador Marcelo Miranda, lembrou que, no Tocantins, o Sistema de Informações do Departamento Penitenciário Nacional (SisDepen) tem possibilitado a inserção do nome social de maneira qualificada, o que possibilita o reconhecimento por identidade de gênero e contribui com mais cidadania e respeito dentro do espaço prisional.

Caravana

Ainda sobre os debates técnicos promovidos durante a Semana da Diversidade Sexual, Gleidy Braga disse ter observado que a categoria se mostra organizada. “Que essa semana seja de reflexões e paute a gestão pública em suas prioridades”, incentivou. Na ocasião, foi informado que estará circulando, em breve, pelos municípios tocantinenses a Caravana da Diversidade Sexual, a ser realizada conjuntamente com a Caravana da Juventude.

A proposta da Caravana da Diversidade Sexual é a mesma da Caravana da Juventude: envolver as comunidades escolares, prioritariamente, garantindo, além de conhecimento, também os direitos. Para tanto, haverá diálogo com pais, professores e demais integrantes de equipes pedagógicas. “Estou bastante otimista com essa caravana, que deverá ser um sucesso”, disse a gestora.

Semana

O objetivo da Semana da Diversidade Sexual é priorizar as temáticas de sexualidade e de gênero e proporcionar espaços de discussão e conhecimentos sobre as especificidades da população LGBT. A abertura oficial contou com palestra sobre “Direto, Diversidade e as Novas Composições Familiares”, ministrada pela especialista em Constitucional e vice-presidente da Comissão de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/TO), Nayara Ayres, na qual ainda é membro da Comissão de Direitos Humanos.

A Semana começou no último dia 02 e segue até domingo, 06, quando entre 16 e 18 horas, diversos órgãos parceiros estarão fazendo atendimentos, orientações e dispondo de serviços na Praia da Graciosa, em Palmas. Na seqüência, a partir das 19 horas acontecerá a Parada Gay da Capital, com eleição da Missa Gay e show com a Banda Babado Novo. São esperadas cerca de 5 mil pessoas. Este ano, a Parada Gay não será em formato de caminhada; será fixa na praia, para garantir acessibilidade às pessoas com deficiência.

O evento na praia terá ainda futebol de sabão, touro mecânico, chuva de glitter, barraca do beijo, cantores regionais e DJ. Vale lembrar que a comissão organizadora está recolhendo doações de roupas, calçados e alimentos não perecíveis que serão revertidas para a Casa 8 de Março, que recebe mulheres LBTs vítimas de violência ou em situação de vulnerabilidade social. 

 

Compartilhe esta notícia