Geral 18/05/2017 - 16:10 - Nara Moura - Governo do Tocantins

Unidades Socioeducativas do Tocantins recebem oficina de qualificação

Chefes e técnicos das oito Unidades Socioeducatiovas do Estado debatem instrumentais. Chefes e técnicos das oito Unidades Socioeducatiovas do Estado debatem instrumentais. - Miller Freitas - Governo do tocantins
Objetivo da oficina é padronizar e qualificar os procedimentos. Objetivo da oficina é padronizar e qualificar os procedimentos. - Miller Freitas - Governo do Tocantins
Oficina qualifica técnicos e chefes de Unidades Socioeducativas. Oficina qualifica técnicos e chefes de Unidades Socioeducativas. - Miller Freitas - Governo do Tocantins

Durante toda esta quinta-feira, 18, equipes técnicas e chefes das oito Unidades Socioeducativas do Estado participam da oficina Adequação e Qualificação dos Instrumentais das Unidades Socioeducativas. A oficina é ofertada pela Escola Estadual de Socioeducação que faz parte da Gerência do Sistema Socioeducativo da Diretoria de Proteção da Criança e do Adolescente da Secretaria da Cidadania e Justiça (Seciju) e tem como objetivo padronizar e qualificar os procedimentos relativos à organização dos instrumentais técnicos, fichas, manuais e prontuários dos adolescentes que se encontram em internação nas unidades. 

Para a diretora de Proteção da Criança e do Adolescente da Seciju, Naysângela Tenório, “capacitar os técnicos e coordenadores é uma forma de articular ações com outros setores e alcançar melhores resultados. É preciso compreender a importância da intersetorialidade, assegurando aos adolescentes um resultado positivo no cumprimento da medida socioeducativa”, explicou a diretora.  

“O principal objetivo é fazer um alinhamento dos instrumentais que as unidades utilizam no cumprimento da medida: relatório inicial, diagnóstico polidimensional, Plano Individual de Atendimento (PIA), acompanhamento da família e tudo que diz respeito ao acompanhamento, ao controle e ao registro de atividades precisam ser alinhados. É muito importante ressaltar e considerar a medida e as características de cada unidade”, disse Auricélia Cruz, coordenadora do Núcleo dos Adolescentes egressos e suas famílias. De acordo com Auricélia, cabe ao chefe de cada unidade regulamentar a partir de normativas internas e portarias os procedimentos mais apropriados dentro das suas atribuições. “O alinhamento serve também para facilitar as comunicações entre unidades”. 

A coordenadora esclarece que a oficina atende ao próprio Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo (Sinase) que prevê a capacitação das equipes que trabalham diretamente com o Sistema Socioeducativo. “Estão previstas, ainda para este ano, capacitações específicas para os profissionais da psicologia assistentes sociais. É importante também aumentar o intercâmbio entre as unidades porque, às vezes a semiliberdade da região Norte não conhece o trabalho que é desenvolvido na região Sul ou aqui mesmo de Palmas.  

De acordo com a Diretoria de Proteção da Criança e do Adolescente da Secretaria da Cidadania e Justiça (Seciju), durante a qualificação dos cerca de 20 participantes, a metodologia consiste em agregar todos os elementos técnicos coletados pelos profissionais. 

Rosângela Santos Gonçalves Chaves, coordenadora do Centro de Internação Provisória (Ceip) localizado no município de Santa Fé do Araguaia, região Norte do Estado, diz que é muito relevante participar das capacitações. “As capacitações trazem melhorias tanto na parte administrativa, quanto na parte pedagógicas das unidades. É necessário buscar ferramentas que nos ajude a desenvolver melhor o nosso trabalho. Quem ganha é o próprio adolescente que cumpre a medida.

Unidades Socioeducativas

As oito unidades socioeducativas do Tocantins são: o Centro de Atendimento Socioeducativo (Case de Palmas); o Centro de Internação Provisória de Palmas (Ceip Central); o Centro de Internação Provisória de Gurupi (Ceip Sul); o Centro de Internação Provisória de Santa Fé do Araguaia (Ceip Norte); a Unidade de Semiliberdade de Palmas (USL – Palmas); Unidade de Semiliberdade Feminina de Palmas (USF – Palmas); a Unidade de Semiliberdade de Araguaína (USL – Araguaína) e a Unidade de Semiliberdade de Gurupi (USL – Gurupi).

 

 

 

 

 

 

Compartilhe esta notícia