Geral 10/11/2017 - 08:51 - Tom Lima - Governo do Tocantins

Revistas são realizadas simultaneamente em todas as unidades prisionais do Tocantins

Um total de 636 pessoas, entre homens e mulheres, participou da operação. Um total de 636 pessoas, entre homens e mulheres, participou da operação. - Sispen - Divulgação
Um total de 636 pessoas, entre homens e mulheres, participou da operação. Um total de 636 pessoas, entre homens e mulheres, participou da operação. - Sispen - Divulgação
Parte de material encontrada em unidades prisionais durante operação desta quinta-feira, 09. Parte de material encontrada em unidades prisionais durante operação desta quinta-feira, 09. - Sispen - Divulgação
Parte de material encontrada em unidades prisionais durante operação desta quinta-feira, 09. Parte de material encontrada em unidades prisionais durante operação desta quinta-feira, 09. - Sispen - Divulgação

Todas as 41 unidades prisionais do Tocantins passaram por operação padrão geral na manhã desta quinta-feira, 09, simultaneamente. Os adentramentos aos pavilhões e celas começaram às 8 horas, tendo alguns sido concluídos até o final da manhã, outros ainda no decorrer da tarde de hoje e no caso da Unidade de Tratamento Penal Barra da Grota (UTPBG), em Araguaína, segue até esta sexta-feira, 10. Para que isso ocorresse, durante os procedimentos, por questão de segurança, foram impedidos todos os acessos externos aos ambientes carcerários.

Especificamente na Casa de Prisão Provisória de Palmas (CPPP), os atendimentos ao público foram restabelecidos às 14 horas desta quinta-feira. Em algumas unidades, as visitas foram retomadas tão logo finalizadas as revistas. “Naquelas unidades com visitas de familiares programadas para a manhã de hoje (quinta-feira), elas serão liberadas para esta sexta-feira, 10”, explica o superintende do Sistema Penitenciário, Renato Mendes Arantes.

Segundo o secretário coronel Glauber de Oliveira Santos, os adentramentos simultâneos não visam somente encontrar objetos ilícitos, mas também reforçar os protocolos de segurança nas unidades prisionais, de forma a garantir a integridade física da população carcerária, dos servidores e demais públicos externos que necessitam acessar os ambientes carcerários, conforme consta na Lei de Execução Penal (LEP). “A participação da Polícia Militar foi fundamental, dando o suporte necessário aos servidores do Sistema Penitenciário envolvidos na operação”, ressalta o superintendente Renato Mendes Arantes.

Um total de 636 pessoas, entre homens e mulheres, participou da operação, sendo 416 técnicos em Defesa Social, 86 servidores administrativos, 95 policiais militares e 39 policiais civis. Ao todo foram encontrados 30 aparelhos celulares, 181 armas artesanais, 300 litros de bebidas destiladas (artesanais), 86 porções de drogas análogas à maconha, 16 balanças artesanais, 29 terezas (cordas artesanais), 05 pen drives, 04 fones de ouvido, 01 chip de telefonia móvel, 17 carregadores de celular, 03 mergulhões, 01 alto-falante, 01 isqueiro, 01 cadeado e 22 metros de fio elétrico.

Compartilhe esta notícia